terça-feira, 23 de novembro de 2010

Balanço da operação “Alta visibilidade, forte ostensividade, tolerância zero”

Do nosso correspondente em Lisboa, onde o estado de sítio já foi levantado

O comandante João Capacete faz um balanço extremamente positivo da operação de segurança para a Cimeira da Nato:

- Com o empenho de todas as valências da GNR conseguimos selar as fronteiras terrestres, marítimas e aéreas e impedir cerca de 200 activistas, entre eles palhaços, objectores de consciência, pessoas com roupas pretas na mala e pessoas que apenas confessaram que iam à contra-cimeira, de entrar no nosso país.
- Colocámos cerca de 8.000 efectivos da PSP nas ruas de Lisboa (tivemos que trazer alguns de outras cidades, onde não prevíamos distúrbios). Nas situações de maior perigo havia um agente para cada três indivíduos potencialmente desordeiros e nas situações de menor perigo tínhamos cerca de 20 agentes para cada sujeito.
- A operação deu para ensaiarmos técnicas de vigilância com câmaras, pois obtivemos uma autorização especial do governo. Também fizemos algum trabalho de intercepção das comunicações mas devido àquele episódio das escutas isso não foi tornado público para não irritar os VIPs.
- Conseguimos que sessenta novos elementos do Corpo de Intervenção fizessem o curso de "Ordem Pública" a tempo de participarem na Cimeira. Podem ver no video como ficaram bem preparados.
- Com a ajuda de vários jornalistas e jornais menos atentos, conseguimos assustar os portugueses com rumores de terroristas a caminho do país e baralhámos as notícias de forma a que ninguém soubesse exactamente qual a diferença entre um terrorista, um anarquista, um adepto Black Bloc e um activista.
- Conseguimos material novo para a PSP à pala da Cimeira. Os blindados, as 45 viaturas anti-motim, as viaturas destinadas a transporte de detidos, um canhão de água, uma viatura pesada e seis ligeiras para remoção de obstáculos, num valor de 4,5 milhões de euros, ainda não chegaram ao país, mas vão dar jeito para conter as desordens que se prevêem com isso da crise.
- Mesmo sem canhão de água e viaturas para detidos, conseguimos apreender 42 desordeiros que estavam a bloquear um dos acessos à Cimeira de maneira pacifista. Ainda os detivemos umas 12 horas para assustar os outros activistas, mas como não arranjamos mais pretextos para prolongar-lhes a estadia na prisão, foram soltos ainda no Sábado.
- Com alguma pena dos camaradas treinados para combater situações de violência concertada, os protestos foram todos pacíficos e não houve nenhum acto de vandalismo nem houve motins. Não conseguimos dar de caras com um único Black Bloc. Estamos obviamente preparados para muito mais e temos equipamento de sobra, por isso estamos a fazer figas para que a próxima reunião da Organização Mundial do Comércio seja em Lisboa!

Sem comentários: