terça-feira, 3 de março de 2009

A cavalo, a pé, de bicicleta... por uma Europa livre de transgénicos

Relato da Marcha de Arronches a Portalegre com a Vita Activa - 28 Fev/1 Março




Durante duas semanas Portugal contou com a presença colorida dos alemães Markus e Maria, da iniciativa "Vita Activa".

Este casal carismático iniciou há 7 meses uma peregrinação de 8.000 km pela Europa, numa carruagem antiga puxada por dois lindos cavalos irlandeses. O objectivo da sua longa e certamente difícil viagem é de alertar os europeus para os perigos da biotecnologia e da agricultura intensiva e para promover as vantagens de uma agricultura biológica e biodinâmica. Proficientes na vida ‘slow and simple’, Markus e Maria não andam mais de 15 km por dia para poupar os cavalos (que no entanto estão habituados a puxar carruagens e a viajar) e dormem na carruagem em terrenos emprestados. Grande parte do dia é dedicado aos cuidados dos cavalos e da cadela Fiona que também os acompanha nesta viagem. O resto do tempo é reservado para sensibilizar todas as pessoas com quem cruzam caminho para a sua causa. Não se trata propriamente de férias no Sul Ensolarado..

Estes corajosos viajantes em missão foram acolhidos na fronteira de Espanha/Portugal pela Plataforma Transgénicos Fora que organizou um percurso por Campo Maior, Elvas, S. Vicente, Arronches, Portalegre, Nisa, Vila Velha de Ródão, Castelo Branco e Monfortinho. Em cada local houve contacto com a população em escolas, mercados e praças principais, numa interacção pessoal em muito facilitada pela curiosidade que desperta uma embaixada tão original.

Durante uma parte do itinerário em terras lusas, a caravana cresceu com voluntários do Gaia e da Quercus, membros da Plataforma Transgénicos Fora, que vieram percorrer os cerca de 24 km de Arronches a Portalegre, por entre uma paisagem de montado de sobro e azinho, característica desta região do Alto Alentejo. Fieis à temática e porque a caravana se encontrava no distrito dos contestados campos de ensaio com milho transgénico (A outrora Zona Livre de OGM Monforte..), os peregrinos de ocasião indumentaram-se de camponês/a, mulher-milho transgénico e com fatos anti-contaminação e nem a chuva persistente conseguiu esfriar os ânimos! A meio do trajecto a caravana bivacou numa das muitas casas de cantoneiro abandonadas, onde uma cozinha e fogueira improvisadas aqueceram corpo e alma e onde havia relva em abundância para o Paddy e o Mark. Pedimos desculpa às andorinhas e ao casal de cegonhas que foram temporariamente afugentados dos seus ninhos (mas asseguro que todos voltaram o minuto depois de termos abandonado o local).

Entre aguaceiros e abertas a caravana chegou a Portalegre no Domingo, enfrentando um último desafio antes de poder conversar amenamente com jornalistas e curiosos: empurrar a carruagem para o alto da vila a 477 m.. Para os vagamundos de ocasião o repto terminou aí, e regressaram para as suas casas com a promessa de um duche quente e um sofá fofinho. Mas os verdadeiros peregrinos ainda enfrentam 8 meses e 4.000 km por uma Europa livre de transgénicos. Aqui vão, mais uma vez, os nossos desejos de uma viagem suave e segura para Markus, Maria, Paddy, Mark e Fiona. Guten Reis!

Alguns links:
Ver site Vita Activa
Notícia Lusa no Público 27/2
Notícia na Reconquista - Castelo Branco
Reportagem na Antena 3 - programa Terra à Vista
Reportagem na RTP1 (aos 34 minutos)

Sem comentários: