terça-feira, 22 de abril de 2008

Slow down - make earth day your everyday

Neste que é o segundo dia da Terra do ano (o primeiro é celebrado no equinócio da Primavera, igualmente desde há 40 anos), vejo-me, para variar, ofuscada pelo esverdeamento brilhante e repentino de todos os sites, blogs, programas de TV e Rádio, jornais e outdoors. Quem já era verde, ficou verde eléctrico. Quem andava pelo bege, abraça hoje o verde maçã. E mesmo os mais azuis e vermelhos entre nós conseguiram um brushing lavável com verde bosque. Espantada observo do meu computador o mundo em frenesim organizatório para assinalar o dia com passeios em parques, concertos à beira rio, festas em florestas, protestos nos centros sufocados das grandes cidades, visitas ao zoo (?), limpezas de praias e vilas, maratonas a favor da mãe terra e para os menos ambiciosos um pic-nic slow com comida fast num qualquer relvado urbano, evitando tanto a relva como as prendas dos amigos caninos ☺. Numa nota mais espiritual, 100.000 monges juntam-se hoje num ‘Wat’ em Bangkok para meditar pela terra. Podia continuar a dar exemplos, alimentando o meu fetiche, mas o site oficial do Earth Day foi-se abaixo com tanta visita e não consegui completar a lista.

Obviamente as marcas não iam ficar atrás, pois desde o filme do Al Gore que as/os (por uma linguagem não sexista |SIC|) secretárias marcam o dia na agenda do/da CEO, a par de outros dias excelentes para comunicar tais como São Valentim ou Dia da Mãe. Assim temos a Apple a jurar que desde hoje os seus produtos cumprem a norma Energy Star, enquanto a Vodafone promete cortar 50% das suas emissões de carbono até 2020, a Tesco elimina (mais ou menos) os sacos de plástico, o Montepio oferece 5.000 árvores (não percebi a quem), a BMW afirma que o seu novo motor até limpa o ar (não liguem para o concessionário, ainda é um concept), a IBM lança um jogo gratuito – Power Up - no qual podemos salvar o mundo, o Google lança uma versão ‘globally aware’ do seu famoso Google Earth e a Verizon troca telemóveis reciclados por donativos para combater a violência doméstica (podemos confiar nos americanos para reinterpretarem o conceito dia da Terra).

Entre óbvias tentativas de greenwashing e iniciativas completamente ao lado, temos aqui também muitas boas notícias. Só que é muito ruído para um dia só. Uma googlada rápida revela que já temos Earth Day, Earth Hour, Earth Minute, Earth Year e até Earth Night. Por não falar em Polar Year, Year of the Reef, Year of the Ocean e até Year of the Potato.

Adoro celebrações. Mas Earth Day fez hoje 38 anos! Não será tempo de lhe oferecer a prenda que deseja desde o seu nascimento em 1970? Que é de deixar de celebrar este dia e fazer de cada dia um dia dedicado à terra?

Para quem ainda necessita de dicas para assimilar o espírito sustentável, vão aqui uns Earth Instants (Earth Moment também já existia ☹). São as 4 medidas que mais efeito produzem na diminuição da pegada ecológica para quem não tem tempo para abrandar a sério. Reparem que não vou falar em reciclar ou recusar o saco de plástico. Não precisam de começar a compostar. Hoje vamos ao bottomline.

1. Eliminar ou reduzir drasticamente o consumo de carne
2. Optar pela bicicleta e os transportes públicos, aderir ao carsharing ou no mínimo carpooling
3. Deixar de comprar gadgets, do resto a nível de electrónicos comprar só o estritamente necessário e fazer durar
4. Reduzir a compra de produtos de qualquer tipo com pelo menos 20% e experimentar a troca dos vossos livros, cd’s, dvd’s e até roupas favoritas com família, amigos e colegas.

Happy Earth Instants :-)

1 comentário:

joana disse...

OBRIGADO LANKA!
Pelas dicas, sou uma greenwoman
preguiçosa.
:)
joana